» segunda-feira, 2 de abril de 2018

17:57

O final de Dragon Ball Super foi satisfatório?

Dragon Ball Super, bom ou ruim?
Reprodução
Como todos já devem saber, Dragon Ball Super chegou ao seu final com o episódio 131. Para muitos, e quando eu digo muitos, são muitos mesmo, dezenas de milhões de fãs espalhados ao redor do mundo, foi muito triste, para os haters, a melhor coisa do mundo.

Devido a meus últimos textos, muitas pessoas devem pensar que eu sou um odiador nato da franquia, já até chamei Dragon Ball Super de merda, mas confesso que tenho certo carinho pelo anime, mesmo que lá no fundo do peito, bem escondidinho.

Eu sempre fui vidrado por animes. Antes da chegada da primeira televisão a minha casa, em meados dos anos 2000, eu já torcia por dezenas de personagens no rádio. Muitos nem sabem o que é isso. Escutar todo um enredo, e tentar desvendar o que acontece, se para um adulto isso é difícil, imagine só para uma criança - creio que na época eu não tinha nem 10 anos.

Dragon Ball Super e a incoerência


Os fãs mais ferozes - que pra mim são idi*tas - sempre batem na mesma tecla, que provavelmente está quebrada há muito tempo, "anime não precisa ter coerência, afinal não é algo real", tudo bem, eu até entendo esse ponto de vista, só não precisa vir para o meu lado como se fosse um cachorro raivoso, babando e com as presas pra fora.

Não é porque eu gosto de algo que eu não posso ver pontos negativos. O meu lado crítico serve mais para mostrar que algumas pessoas não aceitam qualquer coisa. Principalmente quando se trata de algo que foi tão especial na sua infância - na minha no caso.

Dragon Ball Super é assim, tem gente que paga para assistir, e tem o direito de reclamar, tem gente que compra bonequinho - e está cagado de fome -, e também tem o direito de reclamar, e tem gente que pirateia, e tem mais que ver a merda caladinho, afinal, não gasta um puto para o desenvolvimento do projeto.

A Toei


A Toei Animation é uma da empresas mais consolidadas no segmento, e mesmo assim faz cada bizarrice com os animes que estão sob sua custódia.

DBS se perde no meio do caminho, entre o bom e o ruim, onde às vezes a única coisa que resta é o bom e velho protagonismo barato de Goku, e nada mais.

"Mas o Goku não é protagonista, o que ele ganhou em Dragon Ball Super, me diz, ele perdeu todas"; nem dá para argumentar com um ser desses.

Mesmo repleto de ótimos personagens, eu não consegui engolir muito bem Dragon Ball Super, porque me parece que tu é 'feito meio que nas coxas', e a culpa é de quem? Caso tenha respondido: Toei, acertou mizerávi.

Eu amo os personagens Whis, Beerus, e até mesmo o gordinho Champa, que é um ótimo alívio cômico, da mesma forma que o poderoso anjo do Universo 7. Mas Ribrianne...

"Mas o que é isso, o que é isso, o que é isso..."

As sagas de Dragon Ball Super


Nem há muito o que comentar a respeito das duas primeiras sagas de  Dragon Ball Super, já que a primeira engloba todo o enredo do filme Dragon Ball Z: A Batalha dos Deuses (2013), e a segunda o longa Dragon Ball Z: O Renascimento de Freeza (2015).

Inclusive, o anime estreou no mesmo ano que o filme do Freeza, 2015, foram quase 3 anos de episódios semanais no Japão.

As sagas que mais me marcaram, foram a do Goku Black, e a final, Torneio do Poder.

A saga do Black só peca na finalização, e em ter um Trunks às vezes tão frouxo quanto o de Dragon Ball GT. No mais, é até digna de um joinha.

O Torneio do Poder é cheio de pontos negativos, mas eu já falei tão mal de Dragon Ball Super por aqui, que prefiro me abster, e reconhecer que o episódio 131 do anime, além de estar incrivelmente bem animado - poucos frames pecam -, aconteceu algo inesperado para muitos, e trouxe um novo guerreiro a cena.

Gohan? Piccolo? Dragon Ball Super 'matou' eles?


Chorar porque Gohan, Piccolo, e outros não tiveram papéis importantes em nenhuma das sagas de Dragon Ball Super eu nem sei se adianta.

Só espero que esse erro seja corrigido no filme que chega em dezembro deste ano, ou em um futuro anime, quem sabe né? Dragon Ball sempre foi uma franquia imprevisível.